Archive for the Literatura Category

Assis, SP – Parede Literária

Posted in Assis, Literatura, Livro, M42, Shots, UNESP with tags , , , , on 31/03/2011 by tomazsp

Leitura, humanizador e tão necessário a raça humana, transportam-nos para outros mundos, introduzem experiências novas a nossa vida. Ocorreu um evento de Literatura na UNESP semana passada e havia uma mesa repleta de livros teóricos e  na hora já imaginei fotografar com a Takumar 50mm, fazer essa perda de profundidade e depois que passei para o computador vi que está orientação caiu muito bem e deixou a entender que isso era uma parede, uma parede de livros. Gostei da idéia, seria uma decoração um tanto quanto inusitada.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Takumar 50 f/1.4
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 50mm
  • ISO: 100
  • Exposição: 1/320
  • Abertura: f/1.4
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Color Efex Pro

 

Assis, SP – Algo Estranho Ocorre na Lagoa

Posted in Assis, Literatura, Natureza, Shots with tags , , , , on 30/03/2011 by tomazsp

Algo está emergindo deste lago, seria o Moby Dick, um Hipopótamo, o Monstro do Lago Ness ou quem sabe Poseidon. Infelizmente não era nenhuma dessa opções, somente um fonte no meio do Lago de um Pesqueiro de Assis. Havia ido com minha namorada e sua família comer uma deliciosa tilápia grelhada, foi uma tarde super gostosa depois de ter ido na Pedreira. Acredito que esta fonte tem o intuito de manter os peixes mais nas bordas, mas vai saber se estou enganado. Quero voltar lá para comer no rodízio, deve ser bem interessante.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3.5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 70mm
  • ISO: 100
  • Exposição: 1/32
  • Abertura: f/1s
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Color Efex Pro

Assis, SP – Penetra Surdamente no Reino das Palavras

Posted in Assis, Literatura, Livro, Macunaíma, Projeto, Shots, UNESP with tags , , , on 26/11/2010 by tomazsp

Acho que demorei de mais para fazer essa fotografia. Como um estudante de Letras demora tanto tempo para postar uma fotografia de um livro. Livro esse que se tudo der certo me seguirá por alguns anos, mas só posso dizer que é um autor brasileiro modernista. Mas surgiu uma vontade de trabalhar com Mario de Andrade, principalmente o livro Macunaíma, ao qual fui apresentado para uma prova, li e me diverti muito. Antes mesmo de ler, desmerecia-o e achava chato, mas depois que li fiquei fascinado e o capítulo “Carta pras Icamiabas” foi algo genial, com uma bela sacada que eu ri muito. Engraçado é esse “arrepiar os cabelos do sexo” do qual não fiz propositalmente, só fui ver que tinha fotografado esse trecho depois que eu abri no computador.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3.5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 65mm
  • ISO: 100
  • Exposição: 1/2500
  • Abertura: F/5
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Viveza

 

Londrina, PR – Espadas

Posted in Literatura, Londrina, Macunaíma, Natureza, Shots, UEL with tags , , on 19/11/2010 by tomazsp

Continuamos com a sessão UEL/Londrina até então, queria fazer uma saída fotográfica em Assis nessa semana mas não rolou, por falta de tempo e preguiça. Talvez consiga fazer  isso no final da outra semana. Mas voltando ao tema central deste post, havia atrás da Casa do Pioneiro um ramo cheio de Espadas-de-São-Jorge muito parecidas com a que tem na UNESP/Assis. Bom, eu não sei se essa planta é mesmo Espada-de-São-Jorge, se eu estiver errado alguém me corrija. Reta final do semestre está chegando, logo voltarei para passar quase 3 meses em São Paulo e lá tentar sair bastante, mapear a Paulicéia Desvairada. E falando de Paulicéia, acho que Macunaíma poderia pegar uma dessas espadas para confrontar o Venceslau Pietro Pietra, vulgo gigante Piaimã, seria uma ótima arma a seu favor.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3.5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 28mm
  • ISO: 200
  • Exposição: 1/80
  • Abertura: F/6.3
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Color Efex Pro

 

Assis, SP – Poe

Posted in Animal, Assis, Darkness, Literatura, Livro, Shots, UNESP with tags , , on 18/10/2010 by tomazsp

Enfim uma fotografia em Assis, demorei para fotografar no Agreste Paulista. Já que hoje foi o primeiro dia da Semana de Liberdade Criativa na gloriosa UNESP, resolvi levar a 50D para passear. Fiz algumas fotografias que eu queria, ainda há muita de se fazer mas vamos com calma que haverá muitas oportunidades. Tentei fotografar um Gato em outro lugar, mas ao aproximar dele fiz muito barulho pisando em galhos e folhas secas e ele saiu. Mas a paciência é a melhor virtude de um fotografo. Pouco antes de ir embora, vi esse Gato sentado no palco. Saquei a 50D e fiz essa com muita paciência, ele ficou parado o tempo todo e ficou olhando direto para mim, mas só deu para fazer essa pois depois ele levantou e saiu. Fotografia única do dia!

Edgar Allan Poe ia ficar orgulhoso de mim, acho que ele ia até pedir para usar essa foto para estampar a capa de algum livro dele. Esta bem, irei para de me achar. Bom, mas os Gatos são uma característica da UNESP, principalmente os Gatos Pretos que têm de monte.  Para mim, uma das melhores fotografias que já fiz.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3,5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 53mm
  • ISO: 100
  • Exposição: 1/25
  • Abertura: F/4,5
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Viveza, Silver Efex Pro

São Paulo, SP – Nublado (HDR)

Posted in Arranha-Céu, Banespa, Edifício Altino Arantes, HDR, Literatura, Macunaíma, São Paulo, Shots with tags , on 15/08/2010 by tomazsp

A Paulicéia Desvairada de cara emburrada, mais um dia frio na cidade e nada melhor do que fotografa-la. Algumas pessoas não gostam de um dia nublado, eu já acho um dia perfeito, mesmo gostando de sol! Acho que a iluminação fica totalmente agradável para ser fotografada. No alto do Altino Arantes seria muito bom de fotografar a noite, com longas exposições, mas é uma pena que só fique aberta até as 15h para o público.

  • Câmera: Nikon P100
  • Configuração: Manual
  • ISO: 160
  • Exposição: HDR 2 Exposições
  • Abertura: F/2,8
  • Manipulação: Photomatix, Color Efex Pro, Viveza

São Paulo, SP – The Cat with the Beautiful Eyes

Posted in Animal, Bukowski, Escultura, Literatura, São Paulo, Shots with tags , , on 11/08/2010 by tomazsp

Não gosto muito de Gatos, mas este eu gostei muito. Parado na grama, vendo o movimento passar, com seu olhos verdes reluzentes com jeito que brilha até no escuro. Ele era diferente de todos os outros, as crianças gostava de brincar com ele, mas os outros gatos diziam para manter distância dele, mas as crianças sempre iam. No fim, bom, aconteceu o que sempre acontece!

O nome desta fotografia, foi em homenagem ao velho taradão Bukowski, ele tem um poema com um nome parecido: The Man with the Beautiful Eyes. Trágico, mas algo muito real. Em sua essência muito belo. Eu traduzi esse poema dele, mas modifiquei para prosa. Irei fazer algo que nunca fiz aqui, postarei esse conto.

O Homem de Olhos Bonitos

Quando eramos criança havia uma estranha casa, Todas as venezianas ficavam sempre fechadas e nunca ouviamos nenhuma voz lá e o quinta era cheio de bambus e gostavamos de brinca nos bambus fingíamos ser Tarzan (embora não houvesse Jane) e havia um lago, um dos grandes cheio de peixinhos gordinhos, você já viu, e eles eram mansos. Eles vinham para a superfície da água e pegavam os pedaços de pão das nossas mãos.

Nossos pais diziam: “nunca vá próximo daquela casa”  então, com certeza, nós iamos. Nós perguntávamos se alguém morava lá. Semanas passaram e não vimos ninguém. Então um dia nós ouvimos uma voz dentro da casa “SUA PUTA MALDITA!”. Era uma voz de homem. Então a tela da porta da casa se abriu e o homem saiu. Ele estava segurando uma garrafa de whisky na sua mão direita. Tinha cerca de 30 anos. Ele tinha um cigarro na sua boca, precisava fazer a  barba. Seu cabelo era selvagem e despenteado e ele estava descalço. Usava camiseta e calça, mas seus olhos eram brilhantes, eles abriram com brilho e ele disse, “ei pequenos senhores, se divertindo bastante, eu espero?”. Então ele deu uma pequena risada e caminhou de volta para a casa.

Nós saimos, voltamos para o quintal de casa e pensamos sobre isso. Nossos pais, decidiram que nós ficassemos longe de lá, porque eles nunca quiseram que nós vissemos um homem como aquele, um homem naturalmente forte com olhos bonitos. Nossos pais estavam envergonhados por não serem como aquele homem, era por isso que eles queriam que ficássemos longe dele. Mas nós voltamos naquela casa e o bambu e os peixinhos manso. Nós voltamos diversas vezes por muitas semanas, mas nunca vimos ou ouvimos o homem denovo. As venezianas estavam fechadas como sempre e estava quieto.

Então um dia enquanto voltávamos da escola, nós vimos a casa. Tinha se reduzido a cinzas, não tinha sobrado nada, somente uma fundação negra retorcida e fumegante e nós fomos para o lago e não havia água lá dentro e o peixinhos gordos e laranjas estavam mortos lá, secando.

Nós voltamos para o quintal da minha casa e conversamos sobre isso e decidimos que nossos pais queimaram aquela casa abaixo, mataram o homem, mataram aquele peixinho, porque era todo bonitos, até a floresta de bambu tinham queimado.

Eles tinha medo do homem com olhos bonitos. E nós ficamos com medo de que nossas por toda nossas vidas coisas como esta poderiam acontecer, que ninguém queria que alguém fosse forte e bonito, que outras nunca permitiriam, e que muitas pessoas teriam que morrer.


Traduzi com a ajuda de dois amigos, gostei muito do resultado, foi difícil fazer está tradução, adaptar para prosa mantendo o sentido.

  • Câmera: Nikon P100
  • Configuração: Manual
  • ISO: 160
  • Exposição: 1/100
  • Abertura: F/3,5
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Color Efex Pro, Viveza