HDR Tutorial

I. Introdução

Acredito que foi o HDR que fez com que eu virasse um apreciador de fotografia e impulsionou a comprar um DSLR. Não me recordo o que eu estava procurando, mas cai no Blog Places2Explore e virei fã na hora, pego muitas inspirações deste Blog.

Existem diversas formas de como fazer um Pós-Produção, então tentarei explicar de uma forma simples para facilitar à todos.

II. Equipamentos e Configurações

Para quem vai iniciar nesse mundo do HDR, é necessário alguns itens importantes:

  • a. Câmera, seja ela uma DSLR ou até mesmo uma UltraZoom, mas se alguma outra tiver os controles manuais de Obturador e Diafragma  já é o mínimo necessário;
  • b. Tripé, que no mínimo tenha uma estabilidade razoável, pois a câmera não pode se mexer nenhum milímetro que já faz uma diferença, criando fantasmas;
  • c. Controle Remoto, não é necessário, mas vai dar uma bela ajuda para você  não tocar na câmera enquanto faz as exposições;
  • d. Magic Lantern (só para usuários Canon), é um Firmware que libera outras opções nas DSLR Canon. A melhor opção dela para o HDR é o Bracketing (podendo fazer até nove exposições automaticamente). Tenho usado desse Firmware e tem me ajudado muito. Mas instale por conta e risco;
  • e. ISO, tente deixar sempre na menor opção, pois no Pós-Produção gera-se ruído na fotografia e quanto menor o ISO estiver, menor ruído terá na fotografia. Acredito que 90% das minhas fotografias postadas foram com ISO 100;
  • f. Paciência, o mais importante dentre esse itens. Já fiquei mais de meia hora para conseguir fotografar um lugar na mesma posição. Se você não quer ter ninguém na fotografia gerando fantasma, vai ter que esperar um pouco e ter muita paciência.

III. Programas para HDR

Na hora de juntar as exposições será necessário ter algum programa instalado no computador. Há diversas opções, mas indico poucos, dos quais já utilizei:

  • a. HDR Efex Pro, é um plugin para o Adobe Photoshop CS muito útil. Para mim é o melhor e ultimamente só uso ele. Ele tem diversas opções automáticas e também manuais;
  • b. Photomatix HDR, foi o primeiro programa que usei e não deixa nem um pouco a desejar. Ele é bem manual, então vai muito na tentativa de errar e acertar, até achar algo que  lheagrade;
  • c. Photoshop CS, se usei uma vez foi muito, mas para quem não quer ficar instalando esses programas acima, pode brincar um pouco com este.

IV. Fotografando

Aqui a coisa começa a ficar mais séria, depois de se preparar, temos que sair e fotografar. Para exemplificar para todos, escolhi uma cena indoor, mas com luz solar incidindo sobre os objetos.

Mas antes de fotografar, fique atento em alguns detalhes imprescindível que temos que tomar cuidado sempre:

  • a. Ao escolher a cena a ser fotografada, utilize somente uma única Abertura e alterne a velocidade do Obturador para conseguir os resultados desejados (mudando a Abertura em cada exposição, você alterará o alcance da área de Foco) ;
  • b. Após decidir a Abertura, decida onde será a área focada, então mude a chave para Foco Manual e se sua Objetiva tiver Estabilizador de Imagem, desligue-a, pois são coisas mínimas que podem interferir no resultado final.

Tente fazer exposições impares (três a nove), fazendo mais que nove provavelmente ficará bem escuro e não será possível ver nada. Neste tutorial escolhi fazer com nove exposições, da qual já acho o suficiente.

Nesta imagem coloquei partes de cada exposições para mostrar a diferença de cada ponto de luz. Então ao preparar as exposições tenha em mente que deve ser fotografado uma no ponto zero e depois intercalando valores positivos e negativos de luz. Por isso que friso no número impar de exposições para ter o oposto semelhante de um valor positivo com o negativo.

V. Pós-Produção

Depois de uma bela saída fotográfica, agora é hora de processar tudo no computar e ver o resultado. Como disse anteriormente, a minha opção principal é o HDR Efex Pro, então os resultados aqui são gerados deste programa.

Após processar as nove exposições e escolher um dos diversos filtros do programa no tratamento, o resultado foi este. Se comparar com a fotografia com a luz “balanceada”, vai notar que é possível ver mais detalhes e o local esta mais iluminado, melhor dizendo, mais visível.

Na fotografia acima processei utilizando o plugin Color Efex Pro para o Adobe Photoshop CS, nele escolhi a opção de ressaltar os detalhes, então o que era um pouco visível, nesta ficou bem mais. Na minha opinião acredito que a fotografia não passou do limite para um lado mais falso.

VI. Considerações Gerais

Então tivemos na última fotografia o resultado final, mas a exploração do que fazer vai depender de qual resultado quer chegar, use a imaginação. Assim tivemos alguns passos importantes para chegar no que queríamos.

Na 1° parte temos a exposição “balanceada” ou 0 EV, que é uma fotografia sem nenhum Tratamento ou Pós-Produção. Nisso temos pontos bem distintos com mais luz ou menos luz. Já na 2° parte é a junção das nove exposições pelo programa, já nos favorecendo um resultado satisfatório. E por fim, na 3° parte um Pós-Produção para intensificar os detalhes. A área mais visível para se notar a diferença entre as três parte é o chão, temos a evolução do detalhamento.

VII. Considerações Finais

Espero que este Tutorial HDR ajude a mostrar que é uma técnica não tão difícil, possível de ser realizada por todos. O Tutorial está um pouco cru no momento, mas no decorrer vou atualizando ele e qualquer dúvida, sugestão ou correção do que há nesta página, só mandar um comentário que tentarei responder o mais breve possível.

Muito obrigado a todos e continuem visitando o Clicking The Moment!

4 Respostas to “HDR Tutorial”

  1. Bela foto! Quando sairá o tuto? Abraço.

  2. Tem uma coisa importante. A estabilização ótica da lente tem que estar desligada. Veja abaixo:

    http://jgoffredo.blogspot.com.br/2011/08/bug-de-bracketing-da-nikon-d90.html

    http://jgoffredo.blogspot.com.br/2011/09/nikon-admite-problema-de-vr-e-tripes.html

    E também tenho dois artigos de HDR:

    http://jgoffredo.blogspot.com.br/2010/10/teoria-basica-de-hdr.html

    http://jgoffredo.blogspot.com.br/2010/10/hdr-um-estudo-de-caso-making-of.html

    Não precisa ter um número ímpar de exposições, e sim, precisa ter exposições que fiquem bem definidas tudo o que quer que fique bem definido.

  3. Humberto G. Carlberg Says:

    Muito bom Bruno
    bem explicativo. Conhecia pouco o recurso. Pergunta. Voce já imprimiu em off-set alguma dessas imagens HDR. Será que conseguimos bons resultados

    • Obrigado Humberto!

      Então, nunca fiz uma impressão em off-set, mas acredito que o pós produção não poderia ser tão forte para as cores não ficarem gritantes. E as múltiplas exposições devem estar bem alinhadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: