Arquivo para Museu

Ōsaka, Ōsaka – Uma Ligação Entre o Céu e a Terra (HDR)

Posted in Arquitetura, Castelo, HDR, História, Japão, Museu, Parque, Shots, Tokina 124, Ōsaka with tags , , , , , , , , , , , , on 18/06/2012 by tomazsp

O primeiro Castelo que vejo na minha vida, uma construção incrível de deixar queixos caídos. O lugar é magnífico, um grande parque bem arborizado, com algumas opções de entretenimento e no centro o majestoso Castelo de Ōsaka (大阪城). A área externa é composta por cinco andares, já a interna há oito andares, sendo que no último se localiza o mirante com uma vista ampla da cidade.

Em 1583 Toyotomi Hideyoshi iniciou a construção do Castelo, tendo como modelo o Castelo de Azuchi (安土城) – quartel general de Oda Nobunaga – mas a obra foi tomando outros rumos e ganhando suas particularidades. Sua finalização se deu depois de 15 anos e em 1615 Hideyoshi foi derrotado por Tokugawa Ieyasu. Cinco anos depois, o novo herdeiro Tokugawa Hidetada iniciou a reconstrução do Castelo pelo que se pode entender, é que as configurações ganhas, são as  mantidas até hoje. Em 1665 o Castelo foi parcialmente destruído por um incêndio iniciado por um raio e só reconstruído em 1843. E mais uma vez queimado em 1868 durante os conflitos civis da Restauração Meiji. Somente em 1931 foi feita outra reconstrução e foi utilizado ferro e concreto. Mas no fim da Segunda Guerra Mundial, o Castelo mais uma vez foi danificado, outra vez sendo restaurado em 1995.

Com toda a certeza, este Castelo tem milhares de histórias e de superação. O tanto que já foi destruído e reconstruído e de perder as contas. O importante é saber que tal beleza esta em pé e proporcionando aos visitantes uma rápida volta ao passado. Para concluir, dentro dele funciona um Museu contando a incrível história deste lugar.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Tokina AT-X 12-24 f/4 PRO DX II
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 12mm
  • ISO: 100
  • Exposição: HDR 7 exposições (+3 a -3)
  • Abertura: F/14
  • Equipamento: Tripé
  • Auxílio: Magic Lantern
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, HDR Efex Pro, Color Efex Pro

Valparaíso, Chile – Venha Aqui Em Cima e Conheça a História (HDR)

Posted in Chile, Escadas, HDR, Museu, Shots, Valparaíso with tags , , , , , , , , on 28/04/2011 by tomazsp

Gostaria que em todos os momentos que eu fosse fotografar com intenções de fazer uma HDR o vento fosse quase nulo como do Chile. Tive poucos pontos de movimentação das folhagens, sendo visto com uma melhor atenção, aonde eu pensava que não iria conseguir uma união completa foi o lugar que me surpreendeu mais, que são as folhas de palmeiras na esquerda, espero estar certo no nome da espécie. E sempre tenho vontade de fazer HDR de árvores, mas com o mínimo de vento já frustra o meu desejo, seria tão bom se no momento que fosse fotografar os ventos parassem, mas acredito que eu estou pedindo demais.

Esta escada é uma das entradas do Museu Naval e Marítimo que eu gostei muito, tinha planos de fotografar na parte de baixo, mas um carro nesta parte de cima deixaria feia a cena. Então preferi fotografar deste ponto do qual achei agradável, já que a escada por si só é muito bela. No post que eu fizer com a fotografia da fachada do Museu Naval e Marítimo eu faço breves comentários sobre a história deste lugar.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3.5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 28mm
  • ISO: 100
  • Exposição: HDR 5 exposições (+2 a -2)
  • Abertura: F/13
  • Equipamento: Tripé
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, HDR Efex Pro, Color Efex Pro

São Paulo, SP – Museu do Ipiranga (HDR)

Posted in Agradecimento, HDR, História, Museu, Museu do Ipiranga, Parque, Preto & Branco, São Paulo, Shots with tags , , , , , on 02/02/2011 by tomazsp

Antes de começar a falar sobre a minha ida ao Museu do Ipiranga, quero dizer que estou muito feliz pelo interesse da Priscilla por uma das minhas fotografias para estampar o convite de Casamento dela. Já estou agilizando as coisas para mandar para ela o mais rápido possível, sabendo que esse tipo de organização é muito corrido e estressante. Uma coisa legal foi que ela pediu com educação uma autorização do uso da imagem. Bacana isso.

Chegando lá logo no portão principal dei uma olhada no Museu desta posição e vi que ficaria uma fotografia muito boa, na minha concepção, mas não tinha sacado a .50D(apelido que eu estou implantando na minha Canon .50D), dei uma bela volta por todo o parque para dar uma estudada aonde seria bacana fazer os clicks e depois montei o tripé e comecei. No total foram 6 lugares que fotografei, todas com a idéia de fazer HDR, mas essa em especial que fui fazer por último foi o mais difícil e tortuoso, por que? Porque vai chegando uma hora que o número de pessoas circulando pelo parque aumenta e como eu queria uma fotografia sem pessoas nela, tive que fica esperando toda essa área ficar sem nenhuma alma viva. Consegui? Não! Só a primeira que eu fiz tive êxito, ai fiquei esperando 30 minutos para um grupo de amigos saírem de lá, mas não saíram, então resolvi fotografar do mesmo jeito. Mas não me arrependi pois não há ninguém ali! Como isso ocorreu? Usei três programas para mesclar as exposições, só um conseguiu chegar nesse resultado, era o mais velho dentre os três e fiquei muito feliz por isso. O Photomatix 3 deu conta do recado e me salvou e fiquei surpreso com isso. Vou postando outras fotografias e mais para frente lanço mais algumas deste grande Museu.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3.5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 30mm
  • ISO: 100
  • Exposição: HDR 5 exposições (+2 a -2)
  • Abertura: F/11
  • Equipamento: Tripé
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Photomatix Pro 3, Color Efex Pro, Dfine, Lightroom 3

 

Jundiaí, SP – O Tempo Parou e o Abandono Chegou

Posted in Companhia Paulista de Estradas de Ferro, Expresso Turístico, Jundiaí, Preto & Branco, Shots with tags , , , , , on 31/01/2011 by tomazsp

Minha grande vontade de voltar a Jundiaí está dividida em duas coisas: 1° fotografar os galpões do Museu da Companhia Paulista de Estrada de Ferro e 2° ter a oportunidade de tomar o vinho delicioso de novo e comer o queijo que havíamos comprado. Gostei de ter ido pra Jundiaí e há muita oportunidade de fazer ótimas fotografias e sinto que uma só ida não seria o suficiente para fotografar tudo, mas essa é a intenção, ir várias vezes e notar as mudanças presentes. Também fiquei com vontade de desbravar uma Fábrica Abandonada de Cimento que fica no meio do percurso do Expresso Turístico. Outra lugar que preciso tentar ir neste ano é a área Abandona da Vasp no Aeroporto de Congonhas, já havia visto fotografias num blog  e depois passou na TV e disseram que pretendem desativar até o final deste ano, entrar lá não será uma tarefa fácil.

  • Câmera: Canon 50D
  • Lentes: Canon 28-135 f/3.5
  • Configuração: Modo Manual
  • Distância Focal: 33mm
  • ISO: 800
  • Exposição: 1/160
  • Abertura: f/5
  • Pós-Produção: Photoshop CS4, Dfine, Silver Efex Pro